O aumento na busca por termos como renda variável, mercado de ações, fundos de investimentos, Bolsa de Valores e outras expressões do mercado financeiro é uma tendência. Segundo pesquisa e análise da ferramenta Google Trends o termo “Bolsa de Valores”, por exemplo, apresentou crescimento de 27 pontos percentuais no índice de popularidade – entre maio/15 e maio/19.

 Este aumento é sinal de que mais pessoas estão em busca de informação e conteúdos de qualidade com o objetivo de encontrarem alternativas no aumento de seus rendimentos e então conseguirem investir com segurança e conhecimento.

Reflexo do Interesse na prática

Este crescimento não parou nas buscas no Google. A Bolsa de Valores , por exemplo, recebeu  mais de 63 mil novos CPFs registrados em abril/2019, além  dos dois novos recordes batidos no mesmo período: a marca de 1 milhão de investidores pessoas físicas na Bolsa de Valores e 1 milhão de investidores no Tesouro Direto, segundo dados da própria Bolsa, conhecida também como B3.

 Mas o que tem levado todas essas pessoas a investirem? Antes de tudo é preciso entender a relação das pessoas com o dinheiro, muitas vezes entendido muito mais como um fim do que um meio.

 Para conseguir dinheiro as pessoas trabalham e dedicam seu tempo a atividades que irão auxiliá-las na obtenção de bens e serviços. E entender que este não é o único caminho para conquistar a independência financeira é o ponto em que entra a noção de investimentos.

 Investir nada mais é do que fazer o seu dinheiro trabalhar por você. Difere de poupar e fazer uma reserva financeira, pois neste caso é deixado de gastar um valor no momento presente e apenas guardado este valor para um objetivo futuro ou para a obtenção de um montante variado, como se estivesse sendo emprestado este valor para a instituição financeira escolhida, gerando como troca juros que variam conforme taxa básica (SELIC) . Já quando se investe, o dinheiro é empregado em aplicações que rendem juros, remunerações ou correções mais rentáveis.

 

Diferentes tipos de investimentos

 Existem vários tipos de investimento, que diferem em duas categorias: as de renda fixa – maior previsibilidade de retorno, como por exemplo Tesouro Direto e Letras de Câmbio e as de renda variável – onde existem mudanças imprevisíveis, que geram maior risco , mas podem gerar maiores ganhos em comparação às de renda fixa, como por exemplo: os Fundos Imobiliários e o Mercado de Ações.

Objetivos ao investir

 Visto estas diferenças, chegamos aos principais motivos que levam as pessoas a investirem. Segundo dados da Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima), 54% dos pesquisados investem com uma propósito principal: segurança financeira, demonstrando a criação de uma consciência e precaução em relação às oscilações econômicas.

Já a rentabilidade – item observado principalmente por aquelas que preferem investir em renda variável, ficou em 2º lugar  nas vantagens apresentadas pelo investidor brasileiro com 16%. Outros itens importantes como vantagem em : poder sacar sem nenhum prejuízo em caso de necessidade, deixar guardado e não gastar sem necessidade completam os principais motivos alegados por aqueles que hoje investem no Brasil.

Seja qual for o motivo que faz com que se busque no mercado financeiro a possibilidade de obtenção de novas fontes de receita – aprofundar-se em conteúdos e informações de qualidade é primordial para dar  os primeiros passos neste meio, diversificando fontes e auxiliando na construção da liberdade financeira dos cidadãos e também no desenvolvimento econômico do país.

 

Quer aprender tudo sobre Investimentos? Conheça os cursos mais recentes lançados por parceiros InterEdTech.

Curitiba - PR - Brasil 
Rua Nunes Machado, 230 - Sl 1 e 4
CEP: 80.250-000 

Fone: (41) 3345-2927